Marcos Planela comenta expectativa pela convocação de Andressinha e próximos passos das Lobas

Por: Henrique König

O coordenador e treinador do Esporte Clube Pelotas Lobas, Marcos Planela abordou diferentes assuntos ao Diário da Manhã. O principal tópico da vez é a convocação da seleção brasileira olímpica, que sai nesta sexta-feira, às 11h. Serão 18 convocadas. Sobre a técnica sueca Pia Sundhage:

“É inegável a evolução coletiva da seleção. Sou entusiasta do trabalho da Pia, embora com algumas divergências. São algumas opções como a goleira. Temos a Lelê, multicampeã pelo Corinthians e atualmente no Benfica. Sem sobra de dúvida é a melhor em atividade. Ela insiste com a Bárbara, por valorizar a experiência, mas é uma goleira que vem na descendente. Defensivamente, há fragilidade pela lateral direita com as alternativas utilizadas. E temos a Bruna Caldeiran, que era convocada no sub-20, era do Avaí/Kindermann e atualmente está no Palmeiras”, mas ressalta que a evolução é grande em relação aos trabalhos anteriores.

A meio-campista gaúcha Andressinha, com formação pelas Lobas, deve estar na lista olímpica. “A maior surpresa é se ela não for convocada. Eu a projeto como titular. A tendência é que ela inicie com a Formiga. Luana Bertolucci sofreu uma cirurgia recentemente. Não acredito que tenha avançado a recuperação para ser convocada. E a Andressa tem mais experiência que a Julia Bianchi (do Palmeiras). Andressinha foi bem no amistoso contra a Rússia, mas não foi bem contra o Canadá, como a seleção como um todo não foi. Mas ela esteve na seleção do último Campeonato Brasileiro e da última Libertadores pelo Corinthians e vive um momento muito bom.”

Planela ajudou na formação da olímpica Andressinha; na foto, a dupla na Boca do Lobo

Trazendo o assunto para a localidade, o Esporte Clube Pelotas Lobas comemora 25 anos de atividades no dia 25 de julho.

“Em meados de fevereiro, houve a reformulação da categoria adulta. Considero um dos grupos mais fortes desses 25 anos” – Planela cita a temporada inicial em 1996-97, o grupo campeão gaúcho adulto de 2008 (2007-2009) e as categorias de base muito fortes das Lobas em 2019.

“É uma dificuldade imensa pela pandemia. Nossa prefeita está bem rígida no comparativo com outros municípios. Conseguimos retomar a categoria adulta em maio. No último final de semana, retomamos a base”, sobre os treinamentos.

“O Campeonato Gaúcho Adulto é certo que sai. Aposto em outubro para a pandemia estar mais controlada e não necessitar das testagens semanais”, alegou sobre as dificuldades financeiras para os clubes do interior, em geral. “Com a base, estamos trabalhando para haver algum torneio com os demais clubes, nem que seja em poucas datas, na região metropolitana, para diminuir custos.”

Marcos também mencionou os problemas financeiros do período: “Nunca tivemos o investimento realmente necessário. Neste ciclo com a pandemia, está particularmente mais difícil. São restrições de empresas e apoios. Tivemos alguns recuos de parceiros nossos. Mas vamos jogar, de alguma forma, de algum jeito. Se for necessário, não disputaremos a base. A prioridade é a categoria adulta buscar vaga nacional”, que pode vir com o terceiro lugar no Campeonato Gaúcho.

Por último, um assunto primordial ao futebol feminino. “A tendência é que a Lei de Incentivo ao Futebol Feminino entre em vigor em 2022 no estado. Mas queremos respingos, reflexos já nesta temporada.” Marcos afirma que existe a busca por um forte patrocínio privado para o Estadual, nem que seja com o respaldo da Federação Gaúcha ou do governo do RS.

Em notícia quente: “a nível federal, o mesmo princípio, para criar uma lei nacional, avançou hoje na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, da Câmara dos Deputados, onde a Deputada Federal Liziane Bayer segue apoiando a pauta”, comemorou Marcos Planela.

Deixe um comentário

Converse conosco!
Carrinho
  • Nenhum produto no carrinho.
%d blogueiros gostam disto: